Blog

Leitura Orante da Escritura – 01

QUARESMA 2014
Comunidade São Sebastião

Leitura Orante da Escritura – 01

 

O que é Leitura Orante ou Lectio Divina?

As Sagradas Escrituras são testemunho autorizado da Palavra de Deus. A Bíblia, em si mesma, só pode ser chamada de Palavra de Deus à medida que seu conteúdo se articule com a vida do povo de Deus. Do contrário, é letra morta. Somente pela ação do Espírito Santo no coração humano que lê e interpreta as histórias de nossos pais na fé é que a letra ressuscita pelo fôlego divino em nós. A Palavra de Deus não é um livro e muito menos um texto. Ela é o próprio Deus comunicando-se e dando-se em comunhão.

A Leitura Orante nasce, então, neste horizonte. Do desejo de contemplar a Deus presente no mundo por ele criado, estabelecendo amizade com as pessoas de boa vontade e, por meio delas, alcançando a todos quantos ama.

O grande modelo de leitura das Sagradas Escrituras é o próprio Jesus Cristo, o Filho muito amado a quem o Pai solicita que escutemos na obediência da fé. A Igreja nos ensina por seus documentos que, desde a antiguidade,  a comunidade fiel dos discípulos e discípulas de Cristo lê e interpreta as Sagradas Escrituras utilizando o mesmo sistema que Cristo Jesus outrora experimentara. Afinal, conforme atesta a Tradição Viva: “Como outrora aos discípulos ele nos revela as Escrituras.” Isto é, Cristo Jesus lê e interpreta o texto bíblico em nós, uma vez que estamos a ele unidos pelos laços do Espírito Santo oferecidos no Batismo.

Já a tradição judaica atestava no passado até o presente formas diversas de ler o Antigo Testamento, o que deu origem à tradição oral do povo de Jesus que mais tarde foi registrada para que não se perdesse. Dentre os vários métodos empregados, chama-nos atenção um deles, composto de quatro passos, muito próximos dos quatro degraus da Lectio Divina conforme a conhecemos hoje.

Trata-se da leitura das Sagradas Escrituras em quatro níveis:

  1. Leitura literal = Pshat
  2. Desconfiança = Remez
  3. Busca = Derash
  4. Mística = Sod

Esta maneira de caminhar em direção à vontade do Senhor, como que mergulhando no coração de Deus por meio das camadas que o texto oferece aparece de modo muito similar na Divina Liturgia da Igreja. Com o passar do tempo, esta maneira de “rezar” a Palavra de Deus foi compilada em quatro etapas de “leitura”  por um monge cartuxo chamado Guigo, no século XII. É como uma escada, composta de quatro degraus. Como a escada de Jacó que liga a terra ao céu e permite a comunicação entre o mundo de Deus e o nosso.  Escada esta que é o próprio Cristo Jesus, verdadeiro enlace entre os corações divino e humano:

1º Degrau: Leitura
2º Degrau: Meditação
3º Degrau: Oração
4º Degrau: Contemplação

(continua)

Deixe aqui o seu comentário